Le Brésil n’est pas un pays sérieux

Hoje tem tirinha nova no TopBlog. Não deixem de conferir!

Abaixo segue a charge dessa semana para o Jornalistas & Cia.

No ano de 1964, o então presidente francês Charles de Gaulle fez uma das muitas inaugurações da Cosipa (Companhia Siderúrgica Paulista), em Cubatão, ao pé da Via Anchieta, na Serra do Mar. José Dias Herrera, o Zezinho, chegou atrasado e o presidente francês já havia acionado o botão que inaugurava a Laminação a Frio da empresa. Com a elegância que também lhe era peculiar, o  jovem fotógrafo de A Tribuna foi rápido e  passou pela segurança. “Levantei o braço – e muito, pois o homem tinha mais de dois metros de altura –, bati no ombro dele e disse ‘Monsieur, s’il vous plâit: hum, hum, hum!’, fazendo gestos para que ele apertasse novamente o botão. Ele riu, foi lá e atendeu ao meu pedido. Naquele dia a Cosipa  foi inaugurada duas vezes”. Há quem atribua ao ato do Zezinho a frase de de Gaulle: “Le Brésil n’est pas un pays sérieux”, que o francês até a morte negou ter pronunciado. Desde o último dia 17, Zezinho deve estar ao lado de de Gaulle e ambos rindo da história na Cosipa.

Uma resposta para “Le Brésil n’est pas un pays sérieux”

  1. Hey, Mário!
    Gostei muito das suas ilustrações. Posso pegar uma pra mim? Prometo fornecer “biografia da pesquisa”
    Essas “histórias” são mesmo de verdade?

    Até mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.