Rio Comicon

Novamente, foi uma delícia visitar o Rio de Janeiro e participar de um evento desses. Revi muitos colega, conheci gente nova e é sempre bom ter contato com o público.

Eu só participei de dois dias do evento, sexta e sábado. Os pontos altos desta vez foram as exposições sobre o Guido Crepax, com direito a um vestido inspirado na Valentina confeccionado por sua filha e a exposição com uma penca de originais do inigualável Will Eisner. Havia ainda uma estátua do Spirit modelada pelo própro Eisner. Simplesmente emocionante pra quem é super fã do Eisner como este que vos fala.

Segundo a organização do evento, o saldo foi positivo e o público dos 4 dias foi estimado em 15 mil pessoas, apesar de ter coincidindo com as datas das provas do ENEM. Infelizmente, nem tudo foram flores o evento me pareceu um pouco mais vazio que o ano passado nos dias em que fui… Alguns dos problemas da edição passada se repetiram e outros surgiram: a estrutura precária da Estação Leopoldina em relação a banheiros (só havia banheiros químicos dessa vez), a localização (um pouco isolado e sem muita coisa ao redor, pra quem ficava no evento o dia inteiro não havia muita opção para almoçar, por exemplo), o preço do ingresso aumentou (de dez para vinte reais), divulgação em cima da hora (o que atrapalha bastante pro pessoal de outros estados se programar, mas mesmo assim conseguiram um bom espaço na mídia), as mesas de autógrafos ficaram um tanto escondidas no estande da Livraria da Travessa.

Esqueci de levar minha câmera e, por isso, estou com poucas fotos da Rio Comicon deste ano.


No estande do 4Mundo ao lado de Will, Cadu Simões, Ana Carolina Recalde, Daniel Esteves, Caio Majado e Giorgio Galli.


Desafio de desenhistas no estande do 4Mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.